sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

"temps: grand vent"

era manhã e escreveu uma carta de amor. dessas de repetir palavras

dessas de repetir palavras.

           era manhã. ela descobriu um grande amor
desses de repetir
de repetir

os tempos

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

I.
tem um mar aqui quando fecha os olhos
não é choro não é salgado
não são cílios enrugados

tem um mar aqui quando pisca os olhos

acho que é uma margem para debruçar-me e dormir.




II.
o poema me livra das palavras

as palavras me adoecem, sã,

enquanto me vê no terceiro sorriso da tarde
nos abraçamos no vermelho do casal que dança
e faz festa, alegres, de nós fazerem amor.